STJ adia julgamento de recurso de Flávio Bolsonaro para paralisar investigação de ‘rachadinhas’

Ministro Félix Fischer retirou pedido da defesa do senador da pauta da Quinta Turma. Não há nova data para julgamento.

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Felix Fischer retirou da pauta de julgamentos desta terça-feira (15) o recurso da defesa do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) que pede para paralisar as investigações sobre o suposto esquema de “rachadinhas”.

A ação seria julgada pela Quinta Turma da Corte. Ainda não há data para o caso ser retomado.

O pedido chegou em abril deste ano e já foi negado em duas decisões individuais do ministro Felix Fischer, o relator – uma em abril e outra em maio.

Flávio Bolsonaro é investigado por suspeita de peculato, organização criminosa e lavagem de dinheiro em seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Ao STJ, o senador alegou quebra de sigilo fiscal e bancário na comunicação feita pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) sobre suas movimentações atípicas. No mesmo processo, o Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) contestou as alegações do senador.

A investigação

Segundo o Ministério Público do Rio, Flávio foi chefe de uma organização criminosa que atuou em seu gabinete no período em que foi deputado estadual, de 2003 a 2018, quando cumpriu quatro mandatos parlamentares consecutivos.

A estimativa é que cerca de R$ 2,3 milhões tenham sido movimentados em um esquema de “rachadinha”, no qual funcionários do então deputado devolviam parte do salário que recebiam na Alerj.

O dinheiro, segundo a investigação, era lavado com aplicação em uma loja de chocolates no Rio da qual o senador é sócio e em imóveis.

G1

Comente usando o Facebook