Justiça aceita denúncia e blogueira vira ré por tráfico internacional de drogas

Laís Crisóstomo Aguiar foi flagrada com cocaína no momento em que embarcaria para Dubai, nos Emirados Árabes.

RIO — A blogueira e bacharel em Direito Laís Crisóstomo Aguiar, de 27 anos, tornou-se ré por tráfico internacional de drogas nesta quarta-feira. A acusada está presa desde 5 de agosto, quando foi flagrada com 461 gramas de cocaína pela Polícia Federal no Aeroporto de Guarulhos, em São Paulo. Ela foi detida pelos agentes no momento em que embarcaria para Dubai, nos Emirados Árabes.

Peterson de Sousa Fontes, de 44 anos, também passou à condição de réu. Ele acompanharia com Laís na viagem para os Emirados Árabes e foi preso em flagrante junto com a blogueira. Fontes é ex-sócio do noivo de Laís, que mora em Dubai e não consta no processo.

A defesa da blogueira chegou a solicitar a “inadmissibilidade e consequente anulação do processo”. Mas o juiz Rogério Volpatti Polezze, da 1ª Vara Federal de Guarulhos, negou o pedido e sustentou que as provas apresentadas pelo Ministério Público Federal (MPF) têm indicativos de autoria.

“Do exame das provas e das alegações das partes até aqui trazidas, verifico que não é possível falar-se em manifesta existência de causa justificativa ou exculpante a beneficiar o réu, tampouco que os fatos descritos na denúncia não constituem crime”, disse o magistrado.

Laís permanece presa na Penitenciária Feminina da Capital, na cidade de São Paulo.

Prisão

Segundo a Polícia Federal, a mala de Laís, com os pertences dela e objetos com seu nome, era carregada por Fontes. Após a droga ser flagrada no raio-X, agentes da PF localizaram os dois e os levaram para a sede policial, onde foi feita uma revista e uma perícia.

A Polícia Federal afirma que testemunhas acompanharam essa ação. A droga, de acordo com a corporação, estava em cápsulas acondicionadas em frascos de suplementos alimentares.

Os advogados Rafael Serra Oliveira e Antônio João Nunes Costa, que representam Laís, alegaram em um pedido de habeas corpus que a blogueira não teve participação no crime de tráfico de drogas. A defesa sustentou que a blogueira apenas pediu para Fontes “levar alguns pertences pessoais na mala dele [onde foram encontrados os entorpecentes], pois estaria viajando com uma mala de mão pequena”. O argumento não foi aceito pelo Judiciário.

ClickPB

Comente usando o Facebook