Publicidade

Clauvino da Silva, o “baixinho”, foi interrompido enquanto tentava sair pela porta da frente do Bangu 3; caso tem repercussão internacional

O traficante Clauvino da Silva, conhecido como Baixinho, tentou fugir do Complexo Penitenciário de Gericinó, o Bangu 3, no Rio de Janeiro, na tarde do último sábado, 3, vestindo uma máscara de silicone, peruca preta e roupas femininas. De acordo com a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap), o preso usou as roupas de sua filha, que o visitou no dia, para a fuga. O caso repercutiu na imprensa internacional.

Os inspetores penitenciários perceberam a movimentação suspeita e interromperam o plano de fuga. O preso tentou sair pela porta da frente do Bangu 3 e deixou a sua filha dentro da prisão para facilitar a fuga, segundo as informações da secretaria. Outras sete mulheres, que participavam da visitação, foram levadas para a delegacia com a suspeita de facilitar a fuga.

Baixinho foi levado pra uma prisão de segurança máxima após o ocorrido. Na Penitenciária Laércio de Costa Pelegrino, o Bangu 1, também no Rio, o traficante sofrerá sanções disciplinares e não foi determinado o tempo de permanência nesta unidade. A corregedoria da Seap também irá instaurar uma sindicância para apurar os fatos.

O traficante foi condenado a 73 anos e 10 meses de prisão por tráfico de drogas. Em 2013, no entanto, Baixinho tentou fugir do Complexo de Bangu pelo esgoto. Ele conseguiu deixar a unidade mas dias depois foi preso novamente.

O jornal The Guardian e a BBC News repercutiram o caso pela internet. Ainda, um membro do site Reddit compartilhou a notícia em uma das páginas de discussão, afirmando que casos assim “só acontecem no Brasil”.

 A máscara, a peruca e as vestimentas utilizadas na fuga

A máscara, a peruca e as vestimentas utilizadas na fuga (Divulgação/Seap/.)

Veja

Comente usando o Facebook

Publicidade