Aulas a distância na rede pública do DF deixam 120 mil estudantes sem acesso ao conteúdo, diz Sinpro

Sindicato dos Professores afirma que 23% dos professores também não têm dispositivos móveis. Aulas voltaram nesta segunda-feira (22), em fase de testes; a partir da próxima semana, presença será obrigatória.

Com o retorno do ano letivo a distância na rede pública do Distrito Federal, na última segunda-feira (22), cerca de 120 mil estudantes estão sem acesso ao conteúdo porque não possuem dispositivos móveis. O levantamento é do Sindicato dos Professores do DF (Sinpro).

De acordo com o Sinpro, 23% dos professores também não dispõem de computadores, tablets ou celulares com conectividade adequada para preparar os conteúdos e ministrar as aulas. Os encontros remotos foram a forma encontrada pelo GDF para continuar o ano letivo durante a pandemia do novo coronavírus.

A Secretaria de Educação afirma que os estudantes sem acesso às aulas, por falta de equipamento ou de sinal de internet, receberão material impresso, a ser entregue nas escolas. Segundo a pasta, desde segunda-feira, de um total de 630 mil estudantes e professores da rede, 525 mil estão conectados.

A pasta afirma também que as escolas estão preparadas para auxiliar os alunos, “tirando dúvidas quanto ao acesso da plataforma e à distribuição dos materiais impressos e teleaulas”. As aulas presenciais foram suspensas no dia 11 de março e retomadas nesta semana, em fase de testes.

No dia 29 de junho, as atividades na rede pública passam a valer presença obrigatória e terão conteúdos de acordo com o plano de ensino para cada série. A frequência e a avaliação dos alunos serão responsabilidade dos professores, com a realização de atividades.

Já a implementação das atividades, vai ocorrer por meio de comitês regionais e locais, além de um grupo central. “Eles vão fazer reuniões remotas para operacionalizar as aulas”, diz a Secretaria de Educação.

Conforme a secretaria, o programa “Escola em Casa” abrange cerca de 460 mil estudantes da rede pública do Distrito Federal. As aulas ocorrem pela plataforma Google Sala de Aula e por transmissão pela televisão.

A secretaria diz ainda que os estudantes que tiverem algum problema devem procurar, primeiramente, a unidade escolar na qual estão matriculados.

Campanha de doação de equipamentos

Estudante no computador em aula online, em imagem de arquivo — Foto: Annie Spratt/Unsplash

Estudante no computador em aula online, em imagem de arquivo — Foto: Annie Spratt/Unsplash

Para ajudar os alunos que não têm um computador ou celular em casa, uma escola particular do Distrito Federal decidiu arrecadar doações de equipamentos eletrônicos. O projeto do colégio Marista, foi montado em parceria com a Secretaria de Educação, que ficará responsável pela formatação dos equipamentos e pela gestão da entrega aos estudantes beneficiados.

Os interessados em ajudar podem doar nos pontos de entrega dos colégios, de segunda a sexta-feira, das 9h às 16h (veja endereço ao final da reportagem).

Família com quatro filhos em idade escolar ganha computador

Charlene recebe orientações para uso de computador doado para volta às aulas dos filhos; durante pandemia de coronavírus ensino será a distância  — Foto: Arquivo pessoal

G

Charlene recebe orientações para uso de computador doado para volta às aulas dos filhos; durante pandemia de coronavírus ensino será a distância — Foto: Arquivo pessoal

Depois de uma doação, Charlene Marques, de 30 anos, conseguiu, pela primeira vez, colocar um computador dentro de casa. Ela e os quatro filhos moram na Chácara Santa Luzia, uma região de invasão, na Estrutural.

O computador foi arrecadado em uma campanha organizada pela Escola Classe 01 da Estrutural e entregue na quinta-feira (18). Segundo Marques, todos da família, inclusive o marido, só acessavam a internet por meio de um único celular.

“Ainda estamos aprendendo a mexer.”

O objetivo da diretoria do colégio da Estrutural – uma das regiões mais pobres de Brasília – é proporcionar meios de acesso às aulas. Cerca de 200 famílias que têm filhos na escola procuraram a direção do colégio para dizer que não tinham equipamentos adequados para a nova forma de estudo

O total de aparelhos arrecadados pela escola, no entanto, está longe de atender a todos os que precisam. A expectativa dos diretores é ajudar 15, das duas centenas de famílias.

Escolas que recebem doações de equipamentos

Colégio Marista João Paulo II

  • Endereço: SGAN 702 (entrada lateral) – Asa Norte

Colégio Marista Champagnat Taguatinga

  • Endereço: QSD AE nº 1 – Taguatinga Sul

Colégio Marista Águas Claras

  • Endereço: Rua Tamboril, Lote 01 – Águas Claras

Colégio Marista Asa Sul

  • Endereço: SGAS 615, módulo C – Asa Sul

Escola Classe 01: Praça Central da Estrutural

  • Endereço: Regional de Ensino – QE 38
  • Contato: (61) 9 8181-8562

Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.

G1

Comente usando o Facebook