sábado, junho 22, 2024
spot_img
HomeGeralApós seis anos com paralisações e acidentes, triplicação da BR-230 deve ganhar...

Após seis anos com paralisações e acidentes, triplicação da BR-230 deve ganhar passarelas e dois novos viadutos no Renascer

A ‘novela’ da triplicação da BR-230, no trecho entre o viaduto das Três Lagoas e o município de Cabedelo deve ganhar um novo capítulo no próximo mês. Conforme apurou o ClickPB, em Abril o Departamento Nacional de Infraestruturas e Transportes (Dnit) irá licitar a continuidade dos serviços no trecho assumido emergencialmente pelo exército entre o bairro do Renascer e o Centro de Cabedelo. Com a ação devem ser construídos dois viadutos e diversas passarelas.

 

Em entrevista ao Portal ClickPB, o superintendente do órgão na Paraíba, Cacildo Medeiros, explicou que o exército havia assumido a obra no trecho após o abandono da obra em 2019. “O exército tinha a missão de concluir o abandono de obra que nós tivemos em 2019, quando o consórcio construtor construcap-coplaza, abandonou a obra. Então teve o abandono de obra e os registros demonstram que estava numa situação muito caótica” disse.

 

LEIA MAIS: Ministro Renan Filho revela reunião com João Azevêdo e diz que vai cobrar para que obra da BR 230 seja acelerada

 

Como exemplo do caos, ele cita a execução de viadutos executados com aterros de conquista pela metade.”O exército concluiu a contribuição deles. Então o exército tá indo e a gente tá retomando a obra” falou Morais.

 

Os novos viadutos desta etapa da obra serão construídos na Mata do Amém e no bairro Renascer, informou ao ClickPB. Já a licitação do outro trecho que abrange parte do bairro Renascer, em Cabedelo, e o município de João Pessoa até as Três Lagoas será executada apenas no segundo semestre de 2023.

De acordo com o superintendente, está sendo realizada uma atualização do projeto do trecho, que deve ser finalizada para então ocorrer a abertura de licitação. “A equipe responsável pelo projeto que está realizando os levantamentos para subsidiar a atualização do projeto para no segundo semestre a gente licitar a continuidade da obra, avançado Manaíra até as Três Lagoas”, acrescentou.

 

Prazos e valores

 

Questionado pela reportagem sobre o prazo de conclusão da licitação que inicia no próximo mês, o superintendente do órgão federal na Paraíba explicou que devido a nova lei de licitações e a magnitude da obra, a expectativa é que a mesma seja finalizada, com assinatura de contrato em até 90 dias (três meses).

 

“Isso quer dizer que depois do período invernoso, temos obras. Até o Renascer. A continuidade do Renascer, pegando Manaíra, indo até as Três Lagoas é só no final do segundo semestre”, enfatizou Medeiros.

 

Ao ser indagado sobre estimativas do valor total da obra, após finalizada, ele citou que estima que ela deverá custar cerca de meio bilhão de reais. “Eu estimo que o empreendimento todo, isso que dizer, a etapa que foi executada agora mais a próxima e o avanço até as três Lagoas, investimento na ordem de R$ 500 milhões de reais”, disse.

 

Acidentes

 

Sobre os constantes acidentes no trecho em obras da BR o superintendente explicou que já estavam programadas ações para combater possíveis novos casos, com a saída do exército da obra. Com um atropelamento de um jovem na área, recentemente, ocorreram muitas cobranças sobre o tema, inclusive por parte da administração municipal.

Uma audiência foi realizada na câmara de Cabedelo e entre as decisões firmadas, após encontro entre Dnit, população e prefeitura, foram adequações na iluminação e construção de quebras-molas. As ações, servem para diminuir os riscos enquanto a obra não é concluída. Segundo o Dnit, a iluminação pública fará parte da nova licitação.

 

Há um entendimento jurídico da Advocacia-Geral da União que é de responsabilidade dos municípios a iluminação pública. Com isso o Dnit deverá entregar o posteamento e a prefeitura realizar a ligação dos cabos de energia e colocar as lâmpadas nos mesmos.

 

Obra já dura mais de cinco anos

 

A obra de triplicação da BR-230 entre Cabedelo e João Pessoa se arrasta desde 2016, há seis anos, e ainda não foi concluída. A empresa contratada abandonou a obra e o Exército Brasileiro assumiu o trabalho. Neste período, além da reclamação da população sobre os transtornos para pedestres e lentidão no trânsito, há grande número de acidentes.

ClickPB

Comente usando o Facebook

DESTAQUES
spot_img
spot_img

Popular

plugins premium WordPress