Casal filma sucuri de 7 metros ao descer de boia cross em rio de águas cristalinas em Bonito, MS

De acordo com hotel, onde casal realizou passeio, é frequente ver no local sucuris de pequeno porte. A suspeita é que animal filmado estava em busca de alimento.

Uma sucuri de aproximadamente 7 metros de comprimento foi flagrada por um casal que descia de boia cross um rio em Bonito, no sudoeste de Mato Grosso do Sul. O vídeo que circula na internet mostra o animal nadando tranquilamente no fundo das águas cristalinas do rio Formoso.

Conforme Luiz Fernando Silva da Cruz, recepcionista do hotel onde os turistas realizaram o passeio, o flagrante foi feito no último dia 18 por volta das 10h. O casal estava acompanhado por dois monitores. Segundo Cruz, o grupo teve muita sorte de ver a sucuri daquele tamanho nadando no rio.

“Como é um animal muito silencioso, ele geralmente não gosta de ser visto ou incomodado. O que se percebe é que, naquele momento, o animal estava se locomovendo em busca de alimento”, explicou ao G1.

De acordo com o recepcionista, no local é comum encontrar sucuris de pequeno porte, mas do tamanho que foi flagrado pelo casal, é raro. “Eles ficaram impressionados porque nunca tinham visto um animal daquela espécie. Ficaram felizes e, ao mesmo tempo, com medo”, afirma Cruz.

Outro caso

No início de novembro, outra sucuri, de 5 metros de comprimento, foi flagrada após engolir uma capivara às margens do Rio Paraná, em Aparecida do Taboado, a 456 km de Campo Grande. De acordo com a Polícia Militar Ambiental (PMA), o registro foi feito por turistas perto de uma área que é frequentada por pescadores.

Sucuri é flagrada às margens do rio Paraná após engolir capivara, em Aparecida do Tabuado (MS). — Foto: Redes Sociais

Conforme o subtenente Braguini, da PMA, a sucuri estava próxima da ponte rodoferroviária e usava alguns galhos para descansar durante o processo de digestão. “Como ela usa a musculatura e a contração para se locomover, ela está com dificuldades por conta do tamanho da presa que engoliu”.

Segundo o subtenente, a sucuri provavelmente pegou a presa momentos antes de ser flagrada. “Como ela fez um esforço muito grande para matar a capivara, ela procurou um apoio [galhos] para não ficar boiando, pois não tinha nem começado o processo de digestão”, explicou.

G1

 

Comente usando o Facebook