Publicidade

Foi por pouco que a seleção da Argentina escapou da mesma pane de combustível que ocasionou a queda do avião da Chapecoense, que matou 77 pessoas na madrugada de terça-feira, em Medellín. Segundo a Rádio Red, de Buenos Aires, o voo da Lamia que levou os bicampeões do mundo da capital argentina até Belo Horizonte desembarcou com apenas mais 15 minutos de autonomia para ficar no ar.

A informação foi retirada de uma conversa privada do Ministro dos Transportes do país, Guillermo Dietrich, em que ele disse que recebeu a informação vinda de um informe técnico do Aeroporto de Ezeiza, de onde a seleção decolou.

No caso de imprevistos no espaço aéreo de Belo Horizonte e uma demora para receber a permissão para aterrizar em Confins, o avião da Lamia sofreria com a mesma falta de combustível do acidente na Colômbia.

Depois da tragédia da Chapecoense, a Associação do Futebol Argentino (AFA) decidiu abrir negociação com uma empresa aérea para garantir o serviço de transporte para a seleção nacional e todos os clubes do país.

Fonte: Extra Online

Comente usando o Facebook

Publicidade