Treze e Campinense fazem partida disputada e empatam em 1 a 1.

Com o resultado do jogo no Estádio Amigão, válido pela quinta rodada do Campeonato Paraibano, o Campinense segue como líder da competição.Um Clássico dos Maiorais de arrepiar. Treze e Campinense entraram no gramado do Estádio Amigão e fizeram um dos melhores jogos do Campeonato Paraibano de 2012. Com dois times armados de maneira bastante ofensiva, o torcedor pôde prestigiar 90 minutos com as equipes buscando o gol. Ao final, o empate acabou sendo o resultado mais justo pelo futebol apresentado.

Treze e Campinense fizeram um jogo bastante disputado no Amigão (Foto: Leonardo Silva JP)

O jogo
A primeira atitude ofensiva foi da equipe rubro-negra. Logo aos cinco minutos, o atacante Potita dividiu com o goleiro Beto, que teve que sair da área, e quase colocou o Campinense à frente do placar. No lance seguinte, veio o troco do Treze. O atacante Márcio Carioca avançou pela esquerda, cruzou a bola mas ninguém apareceu para concluir.
O primeiro gol da partida não demorou muito a acontecer. Aos 19 minutos, em uma jogada protagonizada pelos dois laterais do Treze, Celico fez o drible em dois marcadores, avançou pela esquerda até a linha de fundo e deu o passe para Ferreira bater no alto, sem chance nenhuma para Sérvulo: 1 a 0 Treze.

Jogadores do Treze festejam gol marcado contra o Campinense. (Foto Leonardo Silva JP)

A reação da Raposa veio quase que imediatamente. Na saída de bola, o Campinense armou uma bela jogada entre Warley e Potita. O camisa 9 empurrou para as redes, mas o juiz anulou o gol alegando impedimento do ataque raposeiro. Outra chance de gol do Campinense apareceu aos 21 minutos: Warley fez um belo passe para Potita que tentou bater por cima, mas sem muito perigo.
Aparentemente mais tranquilo dentro de campo, o Campinense conseguiu chegar ao empate com Potita. Aos 39 minutos, após o cruzamento de Claudemir, o atacante, que não é dos mais altos, subiu mais do que os três zagueiros do Treze e cabeceou no ângulo para decretar a igualdade no placar.

Potita comemora o gol de empate contra o Treze. (Foto Leonardo Silva JP)

Segundo tempo

Na volta do intervalo o treinador do Treze, Marcelo Vilar, decidiu mexer na sua equipe, especificamente no setor ofensivo. Foram duas mudanças. Vavá entrou no lugar de Braw e Rone Dias ocupou a vaga de Léo Rocha. Com as substituições o Treze passou a atacar com mais força e quase marca com Vavá aos 12 minutos.
Outra boa chance de gol saiu, mas dessa vez para o lado do Campinense. Após boa tabela entre Vavá e Potita, o camisa 11 passou a bola para Rogério Rios que tocou por cima na saída do goleiro Beto. A bola ia entrando quando Adalberto chegou e salvou em cima da linha. Era a jogada mais perigosa até aquele momento.
Aos 35 minutos, após receber um passe em profundidade de Adriano Felício, Warley invadiu a área e caiu depois de trombar com a zaga alvinegra. Na sequência da jogada, o árbitro mandou o atacante do Campinense levantar e ainda aplicou o cartão amarelo, deixando irritada a torcida da Raposa.
Apesar da insistência de ambos os lados, o jogo foi ficando pesado e sem muitas chances de gol até que, aos 45, Celico ficou com a bola depois do bate-rebate e chutou no canto direito. Sérvulo, que já estava batido na jogada, só ficou olhando ela passar pertinho da trave. Final de jogo, 1 a 1 no Clássico dos Maiorais.

Do G1:
Por Silas Batista Campina Grande

 

Comente usando o Facebook

plugins premium WordPress