Número de processos contra juízes na PB cresce 400% em 1 ano

O jornal Valor Econômico divulgou nesta terça-feira (03/01), um levantamento do Conselho Nacional de Justiça com informações sobre o andamento de processos administrativos contra magistrados, em tramitação nas corregedorias gerais dos tribunais dos estados do país.

A divulgação tem o objetivo de fazer com que a população possa acompanhar o trabalho das corregedorias na apuração de eventuais faltas cometidas pelo Judiciário. De acordo com o CNJ, quinze juízes da Paraíba respondem a processos. Em novembro de 2011 este número era de três, o que representa um aumento de 400%.

Os números de processos contra juízes paraibanos ainda são muito pequenos se comparados a outros estados. Pernambuco, que lidera o ranking, tem 395; São Paulo aparece em segundo com 191 e o Piauí em terceiro com 163 processos contra magistrados.

No país o número de juízes investigados passou de 693, em novembro passado, para 1.710 atualmente.

O número de investigações é passado pelos próprios tribunais dos Estados, seguindo uma estratégia definida pelo presidente do CNJ e do STF, ministro Cezar Peluso.

Após reunião com representantes dos tribunais de justiça, em outubro, Peluso decidiu que as corregedorias passariam a enviar dados mensais sobre as investigações ao CNJ. Com isso, foi criado o Sistema de Acompanhamento de Processos Disciplinares contra Magistrados.

O objetivo, segundo o presidente do CNJ e do STF, foi o de dar “mais transparência aos processos disciplinares contra juízes e desembargadores em todos os tribunais”.

Mas, a maior parte das informações é sigilosa. Há apenas duas ou três linhas sobre cada processo, como “desaparecimento de três processos da vara”, “supostas irregularidades (do juiz) no processo” ou “desbloqueio (irregular) de valores”.

Da Redação com G1PB

Comente usando o Facebook

plugins premium WordPress