Paraguai expulsa 12 estudantes brasileiros de medicina

Eles foram presos no dia 6 de abril, em uma festa. De acordo com a polícia paraguaia, os estudantes estavam consumindo álcool e drogas, e com o som acima do permitido por lei.

A Polícia Nacional do Paraguai cumpriu determinação do governo e expulsou 12 estudantes brasileiros de medicina. Os jovens foram entregues à Policia Federal no prédio da Imigração, em Pedro Juan Caballero, na fronteira com o Brasil. Eles estavam presos desde o dia 6 de abril.

Os estudantes, entre eles, três mulheres, foram colocados em veículos da PF e trazidos para Ponta Porã, cidade vizinha a Pedro Juan Caballero, e estão proibidos de entrar no país nos próximos 2 anos.

O Governo do Paraguai alega que a medida foi tomada porque os brasileiros não possuem documentação de imigração exigida por lei, e que no momento da prisão, o grupo estava em uma casa participando de uma festa regada a álcool e drogas e com o volume do som acima do permitido.

Estudantes brasileiros presos no Paraguai  — Foto: Polícia Nacional Paraguai/Divulgação

Estudantes brasileiros presos no Paraguai — Foto: Polícia Nacional Paraguai/Divulgação

Estima-se que quase 10 mil brasileiros estão Pedro Juan Caballero cursando medicina. A expulsão dos estudantes foi anunciada pelo governo e executada nesta quarta-feira (24).

Expulsões

O Governo do Paraguai vem adotando a medida de expulsar brasileiros que se envolvem com crimes no país. Foi assim como o narcotraficante Marcelo Fernando Pinheiro da Veiga, conhecido como Marcelo Piloto, que estava preso em Assunção e expulso do país em novembro de 2018.

Em março, foi a vez do traficante Thiago Ximenes, conhecido como “Matrix”, ser expulso pelo Paraguai para o Brasil. Ximenes foi entregue a policiais federais na aduana da Receita Federal da Ponte Internacional da Amizade, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, na fronteira com Ciudad del Este.

G1

Comente usando o Facebook