Publicidade

O Governo do Estado entregou, na manhã desta quinta-feira (2), a Escola Técnica professor Bráulio Maia Júnior, em Campina Grande, obra que representa quase R$ 16 milhões de investimento em parceria com o Governo Federal. A nova unidade de ensino vai atender cerca de 1.400 estudantes, disponibilizando dois cursos técnicos: Design de Calçados e Programação de Jogos Digitais. Os cursos foram escolhidos de acordo com a demanda do setor produtivo da região, com o objetivo de facilitar a inserção dos estudantes no mercado de trabalho.

A solenidade foi presidida pelo governador Ricardo Coutinho, que comentou ser esta a sétima Escola Técnica padronizada no Estado e ainda há cinco em construção nas cidades de Guarabira, Patos, Itaporanga, Sousa e Serra Branca. “Esse tipo de escola traz ensino técnico e integral, com modelo pedagógico diferenciado. Estas escolas dialogam com a realidade das regiões e possibilitam, além de uma educação com qualidade, mais oportunidades de emprego para os jovens”, frisou.

A Escola Técnica Estadual de Campina Grande possui 12 salas de aula, biblioteca, banheiros, auditório com 201 lugares, quadra poliesportiva coberta com vestiários masculino e feminino, laboratórios de informática, línguas, matemática, física, biologia e química, sala técnica e outras dependências. “É uma grande estrutura que oferece todas as condições que os estudantes necessitam para ter um bom desempenho educacional. Enfim, é um equipamento moderno e com qualidade”, observou a diretora-superintendente de Obras do Plano de Desenvolvimento do Estado (Suplan), Simone Guimarães.

Entre os serviços executados durante a obra, estão: movimento de terra, terraplenagem, fundação/superestrutura/estrutura, paredes e painéis, esquadrias com ferragens, cobertura, impermeabilização, revestimento, pisos, instalação elétrica e hidráulica,  estação de tratamento de esgoto, castelo d’água, instalação de gás, instalação de combate a incêndio, anfiteatro, irrigação, sistema de climatização, instalação telefônica/tv/interfone/informática, paisagismo, pintura e outros. A escola foi projetada obedecendo os padrões ambientais, observando o conforto térmico, acústico e visual de seus usuários.

De acordo com o secretário da Educação, Aléssio Trindade, além do ensino tradicional, os estudantes terão na Escola Técnica a oportunidade de criar empresas pedagógicas e se formarão em áreas escolhidas de acordo com o arranjo produtivo de Campina Grande. “Tudo foi pensado para que o aluno seja protagonista da sua trajetória e possa ter à disposição um ensino integral técnico da melhor qualidade”, pontuou.

“A proposta da escola em tempo integral é bastante atraente e vai nos proporcionar mais conhecimentos. Eu faço o 1º ano do curso de Programação de Jogos Digitais e tenho expectativas muito positivas a respeito do campo de atuação nessa área”, comentou o estudante Pedro Henrique.

Wscom

Comente usando o Facebook

Publicidade