TRANSFERÊNCIA DO POLICIAL AUGUSTO: O que dizem Augusto e Robério Burity? Confira

O QUE DIZ AUGUSTO

O policial civil Augusto Queiroz, que estava à disposição da Delegacia de Polícia Civil de Ingá, lotado na 2ª Superintendência de Campina Grande, informou por meio de áudios em mensagens de grupos de WhatsApp e postagens em redes sociais, que após uma denúncia feita pleo vice-prefeito Robério Burity na corregedoria, o mesmo foi comunicado que sua transferência para o município de Esperança, PB, já estava pronta faltando apenas publicar no Diário Oficial.

Segundo policial Augusto, atribui sua transferência ao vice-prefeito Robério Burity, em razão de ter conhecimento que o vice-prefeito já havia ido pedir duas vezes sua transferência nos órgãos de comando como delegacias seccional, regional e secretaria de segurança pública.

Augusto, que é pré-candidato a vereador em Ingá, informou ainda que Robério já havia feito uma grave denúncia na corregedoria contra sua pessoa afirmando que o mesmo estaria com a intenção de preparar um flagrante forjado com algo ilícito contra o denunciante, o vice-prefeito Robério Burity.

O policial Augusto por fim, afirmou que trabalha de forma firme e honesta no combate à criminalidade e tem contribuído com a equipe da Depol de Ingá para tirar de circulação infratores, traficantes e homicidas, e jamais seria capaz de fazer algo do tipo forjado contra qualquer cidadão, nem mesmo contra o pior bandido e que sua conduta como policial é trabalhar dentro da lei. Estará prestando seus serviços em Esperança após a oficialização da transferência, mas não abandonará o Ingá onde mora, tem esposa, filhos e centenas de amigos e colaboradores.

O QUE DIZ ROBÉRIO BURITY

Por sua vez, Robério Burity nega que tenha feito o pedido de transferência do policial. Até porque, acredita e defende a separação de poderes e autonomia das instituições. No entanto, confirma que realmente denunciou o referido policial em razão de ter tomado conhecimento que ele havia afirmado a varias pessoas que iria forjar (preparar) um flagrante inexistente contra ele, Robério, na intenção de incrimina-lo em algo ilícito. Uma atitude bastante lastimável de um policial, defende Robério.

Robério deixou claro que jamais pediu a transferência do policial, até porque a corporação tem autonomia em suas decisões.

Ingá Cidadão 

Comente usando o Facebook