Audiência de custódia de DJ Ivis deve acontecer ainda nesta sexta; defesa pede revogação da prisão

A audiência de custódia de DJ Ivis aconteceu ainda na manhã desta sexta-feira, 16. Segundo informações de um agente policial ao O Povo, a sessão acabou e ainda é esperado a decisão par saber se o músico será liberado, mediante medidas cautelares, ou deve ser permanecer preso. Conforme apurado, a decisão deve ser do Poder Judiciário do Eusébio.

De acordo com o titular da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS), Sandro Caron, o artista segue preso desde a quarta-feira, 14, na Delegacia de Capturas (Decap). O músico vai responder a dois inquéritos por lesão corporal no âmbito da violência doméstica e familiar. Ivis é investigado por agressão à sua ex-esposa Pamella Holanda.

“Ele está na Decap neste momento. Ele aguarda a audiência de custódia, que vai ser realizada pela Justiça hoje de manhã, possivelmente”, afirmou o secretário em entrevista à Rádio O POVO CBN. Segundo ele, a prisão do DJ foi uma resposta operacional contra a violência em desfavor de grupos vulneráveis.

A defesa do DJ Ivis Araújo afirmou que hoje deverá pedir à Justiça do Ceará a revogação da prisão temporária do músico em troca da adoção de medidas cautelares, como o uso de tornozeleira eletrônica e recolhimento domiciliar. Os advogados esperavam que a audiência de custódia fosse realizada nesta quinta-feira, 15, na Delegacia de Capturas (Decap).

Segundo informações da defesa do DJ, a audiência pode acontecer entre 11h e 12h horas ainda desta manhã. No local, o ônibus que faz a transferência dos presos está estacionado, mas a lista de presos a serem transferidos ainda é da semana passada.

Na audiência, o juiz avalia a soltura ou manutenção da prisão. Segundo entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) aprovado em 2020, o procedimento deve ocorrer em até 24h após a detenção. A prisão de Ivis foi baseada, entre outros requisitos, na Garantia da Ordem Pública, mas é relacionada com o primeiro Boletim de Ocorrência registrado pela ex-mulher, Pamella Holanda, no dia 3 de julho, cerca de 48 horas após as agressões.

Somado a isso, os vídeos em que Pamella aparece sendo agredida pelo DJ deram origem a um segundo procedimento investigativo, pois as imagens foram registradas em dezembro de 2020, e à época não houve denúncia.

Comente usando o Facebook