Publicidade

A audiência de instrução e julgamento teve início na tarde dessa terça-feira (23), tendo a juíza suspendido os trabalhos pelo adiantado da hora (20h). Os réus são suspeitos de terem atuado na ação de resgaste dos presos do PB1, fato ocorrido na madrugada do dia 10 de setembro de 2018.

A juíza Michelini Jatobá, titular da Vara de Entorpecentes da Comarca de João Pessoa, agendou para o mês de agosto, a realização de uma nova audiência de instrução e julgamento nos autos do processo, que envolve oito réus acusados dos crimes de organização criminosa, tráfico de drogas, associação criminosa voltada para o tráfico de drogas, posse ou porte ilegal de arma de fogo de uso restrito, receptação e falsa identidade. Serão ouvidas duas testemunhas arroladas pelo Ministério Público, e testemunhas indicadas pelas defesas dos acusados.

A audiência de instrução e julgamento teve início na tarde dessa terça-feira (23), tendo a juíza suspendido os trabalhos pelo adiantado da hora (20h). Os réus são suspeitos de terem atuado na ação de resgaste dos presos do PB1, fato ocorrido na madrugada do dia 10 de setembro de 2018.

Uma testemunha revelou que os principais alvos do resgate eram comparsas de um dos acusados, de nome Mastroianni Leonel Santos. Além dele, foram denunciados no processo Michel Silva Lisboa, Karlos Emanuel dos Santos Marques, José Jorge de Sousa Neto, Severino Manuel da Silva Neto, Eliane Gomes de Oliveira, Luciene Benedito dos Santos e Wellington Santana Martins.

Na audiência realizada na terça-feira ocorreu a oitiva de nove testemunhas do Ministério Público. Ausente a testemunha Martiniano Nascimento Neto, tendo o MP insistido na sua oitiva, bem assim requerido a concessão de prazo para indicação de seu atual endereço, o que foi deferido pela juíza Michelini Jatobá.

Na ocasião, o advogado Marconi Rates Santiago Sobrinho juntou procuração se habilitando como patrono do réu Karlos Emanuel. Um outro advogado, Osvaldo de Queiroz Gusmão, requereu prazo para juntar procuração se habilitando na defesa de Wellington Santana Martins, sendo-lhe concedido até a próxima audiência, dia 13 de agosto.

Fuga no PB1 – De acordo com os autos, a fuga ocorreu após diversos criminosos terem efetuado disparos de fuzil em direção às guaritas e torre do estabelecimento prisional, bem assim após terem utilizado explosivos para destruir o portão principal, o que resultou na fuga de 100 presos. Na promoção ou facilitação da fuga, teriam participado aproximadamente 30 pessoas, as quais chegaram ao local a pé e, ainda, em veículos.

Conforme as imagens fornecidas pela direção da Penitenciária, os promoventes da fuga se dirigiram inicialmente até a cela de nº 5, local onde estavam os presos Antônio Arcênio de Andrade Neto, Romário Silveira e Vanilson Pereira de Macedo, todos autuados em flagrante no dia 6 de agosto de 2018, após a ação criminosa praticada contra um carro- forte, sendo apreendido, na oportunidade, vasto material bélico.

ClickPB

Comente usando o Facebook

Publicidade