Ex-namorado ameaçou jovem 5 dias antes dela ser morta no AP: ‘vai denunciar, que vou te matar’

Segundo a polícia, ele também fez ameaças a ela através de familiares. Raiane Miranda foi morta a facadas na sexta-feira (31), próximo de casa. Delegacia investiga caso como feminicídio.

No telefone de Raiane Miranda de Almeida, de 20 anos, morta a facadas na sexta-feira (31), no Amapá, a Polícia Civil encontrou mensagens do ex-namorado, de 26 anos. Ele ameaçava ela de morte, 5 dias antes do crime.

O ex-namorado foi preso no sábado (1º) como suspeito de ser autor do feminicídio. A Justiça determinou a prisão preventiva dele no mesmo dia.

O crime aconteceu em Santana, a 17 quilômetros de Macapá, próximo da casa da vítima. O G1 tenta contato com a defesa do jovem preso.

Preso pela polícia civil, jovem é principal acusado de matar a facadas a jovem Raiane Miranda de Almeida, de 20 anos — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Preso pela polícia civil, jovem é principal acusado de matar a facadas a jovem Raiane Miranda de Almeida, de 20 anos — Foto: Polícia Civil/Divulgação

O delegado Yuri Agra lidera a investigação do crime através da 1ª Delegacia de Polícia (DP) do município, e já havia falado no sábado sobre a existência das mensagens enviadas, mas disponibilizou “prints” ao G1 nesta segunda-feira (3). Também há o registro de que ele ameaçou a vítima através de familiares.

Para a polícia, não há dúvidas de que o caso se trata de feminicídio praticado pelo ex-companheiro da vítima, e que o crime foi premeditado.

Raiane Miranda, de 20 anos, foi vítima de feminicídio — Foto: Redes Sociais/Reprodução

Raiane Miranda, de 20 anos, foi vítima de feminicídio — Foto: Redes Sociais/Reprodução

No dia 26 de julho, um domingo, segundo o delegado, o ex-namorado aparentemente pelas mensagens encaminhadas havia se cansado de insistir para voltar o relacionamento, pois Raiane estava bem decidida.

“Pode me denunciar, porq tu não ta nem ai, ta com macho, tá de boa. Eu não iria mas atras, mas to te avisando logo. Depois desse prejuizo de agora, tu vai se f…. vai denunciar, que eu vou te matar, pode fazer isso [sic]”, citavam as mensagens.

Segundo polícia, ex-namorado fez ameaças à Raiane através de familiares — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Segundo polícia, ex-namorado fez ameaças à Raiane através de familiares — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Após as mensagens, Raiane mudou de número, pois não queria mais ser incomodada, informou a polícia. Para o telefone de um familiar da vítima, o ex-namorado também enviou mensagem citando denúncia, já no dia 27 de julho.

“Mas manda ela denunciar logo porq a hora que pegar ela por ai ela já sabe [sic]”, mostra o print cedido pela Polícia Civil.

Delegado Yuri Agra investiga o caso como feminicídio — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Delegado Yuri Agra investiga o caso como feminicídio — Foto: Polícia Civil/Divulgação

“Ela não registou BO [Boletim de Ocorrência] nem requereu medida protetiva de urgência. A família se preocupou de certa forma com as ameaças, mas ninguém imaginava, nem na pior das hipóteses, que ele poderia fazer isso. Ele não dava sinal de que teria capacidade de assassinar Raiane. Ele não tinha esse perfil. Segundo a família, todos foram pegos de surpresa”, comentou o delegado.

O inquérito ainda estava aberto até a última atualização desta reportagem, pois ainda precisavam ser ouvidas testemunhas.

O ex-namorado foi preso horas após o crime, na casa de um familiar. O delegado disse que o jovem ficou em silêncio durante o interrogatório. Segundo Agra, foi levantado que o suspeito não aceitou o fim do relacionamento e que ele já planejava cometer o crime.

Homicídio

De acordo com familiares, a jovem voltava do trabalho quando o ex-namorado a abordou próximo de casa, na noite de sexta-feira.

O crime ocorreu às 21h30, no bairro Hospitalidade, conforme registraram imagens de câmeras de monitoramento próximas ao local do crime. A faca usada no crime foi deixada no local, recolhida pelos policiais e entregue na 1ª DP de Santana. A arma ainda estava ensanguentada.

No hospital, a equipe de saúde informou à Polícia Militar que a vítima tinha lesões de quatro facadas. O corpo foi periciado na Polícia Técnico-Científica (Politec) e a vítima foi velada e enterrada ainda no sábado.

G1

Comente usando o Facebook