Homem condenado por agressão e ameaça alega que ex-esposa se machucou sozinha, possuída por um espírito

A juíza Juliana Dantas de Almeida, da Comarca de Remígio, determinou pena de oito meses e 10 dias de prisão em regime aberto a um homem condenado por agredir a ex-esposa e ameaçá-la de morte após ela ter recebido uma foto via WhatsApp enquanto eles conversavam. O inusitado é que ele alegou que os arranhões e outros ferimentos encontrados na mulher foram causados porque ela foi tomada por um espírito que a fez se debater e se machucar.

O encontro que terminou em agressão aconteceu no dia 11 de agosto de 2018, em um bar de Remígio quando o condenado buscava se reconciliar com a vítima. Willian dos Santos Miranda foi denunciado pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB) à Justiça. O homem pode recorrer da condenação.

Em depoimento à polícia, a mulher contou que Willian foi até sua residência convidando para ir a um bar na cidade de Remígio, a fim da reconciliação. Chegando ao local, em meio a conversa, o acusado teria se irritado ao ver que uma pessoa tinha encaminhado uma foto para o celular da ex-companheira. A partir daí, ele passou a agredir fisicamente a vítima, além de ameaçá-la de morte. A versão também foi confirmada durante depoimento em audiência na Justiça.

Ao julgar o caso, a juíza Juliana Dantas destacou que a prova produzida pela acusação é robusta, não tendo a defesa obtido êxito no afastamento da materialidade e autoria delitivas devidamente constatadas nos autos. “Havendo provas uníssonas que o réu praticou os crimes de lesão corporal e ameaça, inexistindo fato que exclua o crime ou isente o réu de pena, impõe-se a sua condenação”, ressaltou.

CLICK PB

Comente usando o Facebook