Menino de 11 anos escreve carta para pais e denuncia abusos sexuais cometidos por ex-pastor no DF

A Polícia Civil prendeu, nesta sexta-feira (1°), dois homens suspeitos de abusos sexuais contra crianças em Sobradinho II, no Distrito Federal.

Em um dos casos, a vítima, um menino de 11 anos, escreveu uma carta e entregou aos pais para denunciar o crime. Na outra ocorrência, o investigado tem 45 anos e abusava da própria enteada, segundo a polícia (veja mais abaixo).

LEIA TAMBÉM:

De acordo com os investigadores, o suspeito de abusar do garoto tem 37 anos e é ex-pastor evangélico. Os policiais informaram que ele era do núcleo familiar da vítima.

“A criança relatou os abusos a uma professora e escreveu uma carta, que foi entregue à família. No texto, ele descreveu os abusos”, disse o delegado à frente do caso, Laércio de Carvalho Alves, da 35ª Delegacia de Polícia, em Sobradinho II.

Segundo o investigador, os abusos duraram “vários anos”. O delegado informou ainda que há suspeita de que o homem tenha feito mais vítimas na capital.

“O criminoso forçava a criança a assistir filmes pornográficos e a ameaçava caso a vítima contasse os fatos para alguém. Ele é investigado por possíveis abusos contra uma outra criança da mesma família”, comentou.

Outro preso

 

Homens são presos suspeitos de abusar de crianças em Sobradinho II, no DF — Foto: PCDF/Divulgação

Homens são presos suspeitos de abusar de crianças em Sobradinho II, no DF — Foto: PCDF/Divulgação

Na mesma operação, batizada de “Erê”, os policiais prenderam outro homem, de 45 anos, suspeito de abusar da própria enteada, de 12 anos. Segundo o investigador, o crime ocorria há quatro anos.

“O criminoso fotografava partes íntimas da vítima e praticava diversas formas de abusos sexuais, incluindo estupro”, afirmou o delegado.

 

Durante a operação, os policiais apreenderam duas armas, vários computadores, dispositivos de armazenamento de dados, celulares, imagens fotográficas, computadores, brinquedos e outros objetos.

Os homens foram presos suspeitos de abuso sexual, estupro de vulnerável e pedofilia.

G1

Comente usando o Facebook