Publicidade

Um vigilante foi morto por um policial militar na manhã deste sábado (14), no bairro da Palmeira, na Zona Norte de Campina Grande (PB). Segundo apuração da TV Correio, a vítima não estava armada e foi morta apenas por ter feito um movimento para mostrar o documento durante uma abordagem da Polícia Militar.

Tácio Pereira Lima, de 27 anos, estava de folga neste sábado, seguindo de moto com o tio para a casa da mãe, no Jardim Continental. Quando os dois passavam pela Avenida XV de Novembro, que liga o Centro de Campina ao bairro da Palmeira, foram abordados por policiais militares.

O tio da vítima, Edson da Silva Pereira, disse que os dois desceram da moto, conforme solicitado por um dos policiais. O PM teria pedido que Tácio mostrasse um documento de identificação, mas quando ele colocou a mão no bolso para isso, outro policial militar que estava dentro da viatura atirou no abdome do vigilante.

“Por que você atirou no rapaz?”, teria perguntado Edson ao PM. Segundo o tio de Tácio, ele respondeu que atirou porque achava que o jovem iria tirar uma arma do bolso. “Ele era trabalhador, trabalhava de vigia, nunca foi preso”, disse o tio da vítima.

Os mesmos policiais que participaram da abordagem socorreram Tácio na viatura para o Hospital de Trauma de Campina Grande, mas a vítima já chegou sem vida. O vigilante era casado e deixa uma filha menor.

O caso foi levado para a Delegacia de Homicídios de Campina Grande, onde parentes da vítima e policiais militares foram ouvidos em depoimento à delegada Mercília Dantas. Até o começo da tarde deste sábado (14), o Comando Regional da PM em Campina Grande não havia se pronunciado sobre o caso e protegeu a identificação do policial militar suspeito. Ele não compareceu à delegacia, onde ainda é aguardado para ser ouvido.

*Com informações de Amy Nascimento, da TV Correio

Comente usando o Facebook

Publicidade