Publicidade

O racha no PSB paraibano teve um novo capítulo nesta sexta-feira (13). A exoneração do assessor especial do Governo do Estado, Gilvanildo Pereira dos Anjos, que tinha sido secretário adjunto do Orçamento Democrática no governo de Ricardo Coutinho.

Ele assumiu que seu posicionamento político é ricardista e disse que tudo que está acontecendo é consequência de vaidade e ingratidão. “Tenho coerência com minha história. Isso tudo que está acontecendo é por vaidade e ingratidão. Por falta de gratidão a gente termina assim. Estão querendo enterrar esse projeto, mas não vão conseguir, porque o legado é muito maior que qualquer disputa que o governo queira travar com Ricardo e seus aliado. Eu lamento porque a gente poderia estar avançando”, desabafou.

Givanildo disse ter certeza que sua demissão tem ligação com seu posicionamento político. “Não só acredito, como a gente está vivendo essa era na política paraibana, dentro de um projeto consolidado, por vias de disputa de um único partido, o governo deixa de fazer sua pauta diária para fazer disputa de partido. Isso entra no campo da gestão e atrapalha a gestão”, disse durante entrevista concedida à rádio Band News, de João Pessoa.

Gilvanildo reclamou do fato de não ter tido a oportunidade de conversar e alegou que gostaria de manter a unidade no partido. “Não me manifestei, não me deram oportunidade de conversar. Eu tenho uma posição clara, mas em nenhum momento me posicionei porque entendi que era momento de pregar unidade e não de de mais gasolina”, falou.

Como assessor especial, Gilvanildo explicou que era responsável por atualizar os governos sobre as informações do Orçamento Democrático nas cidades para onde o governador João Azevêdo participava das reuniões. Ele é filiado ao PSB desde 2003, quando deixou o PT junto com Ricardo.

Click PB

Comente usando o Facebook

Publicidade