Publicidade

Para seguir o protocolo internacional, porém, é necessária uma contraprova a ser feita pela Instituto Adolfo Lutz

O Ministério da Saúde confirmou que um homem de 61 anos que regressou no último dia 21 da Lombardia, no Norte da Itália, testou positivo para coronavírus. Ele permaneceu na Itália do dia 9 ao dia 21 de fevereiro em uma viagem a trabalho e sozinho. O homem, que não teve a identidade divulgada, está internado no Hospital Israelita Albert Einstein, na Zona Sul da capital paulista. De acordo com o Ministério da Saúde, ele apresenta os sintomas da doença – tosse seca, febre, dor de garganta e coriza –, mas passa bem e tem “sinais brandos”.

De acordo com o Ministério da Saúde, no exame específico para SARS-CoV2, preconizado pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o resultado foi positivo. Para seguir o protocolo internacional, porém, é necessária uma contraprova a ser feita pelo Instituto Adolfo Lutz. É esta etapa que está sendo feita agora. O resultado definitivo deve sair nesta quarta-feira.

Em uma rede social, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, foi sucinto: “Estamos atentos”, disse. Em seguida, postou uma bandeira do Brasil.

Nesta terça, após o meio-dia, o hospital Albert Einstein registrou oficialmente a notificação do caso suspeito e adotou medidas para evitar a transmissão da doença por gotículas. Foram realizados testes para vírus respiratórios comuns e coletadas amostras do paciente. 

Segundo o Ministério da Saúde, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) está analisando toda a lista de passageiros do voo que trouxe o homem para São Paulo, e as secretarias estaduais de Saúde serão informadas sobre o destino final de cada viajante. Se um passageiro que estava no mesmo voo tiver feito apenas conexão em São Paulo, outros estados também serão avisados para entrar em alerta e adotar medidas sanitárias.

 

Comente usando o Facebook

Publicidade