Publicidade

A informação circula entre alguns militantes do PDT do deputado Damião Feliciano. Há alguns dias, Damião e a vice-governador Lígia Feliciano teriam sido procurados pelo governador Ricardo Coutinho, com uma proposta conciliatória, em face do azedume que tem marcado a relação entre as partes, nos últimos meses.

O cisma começou quando RC sinalizou permanecer no Governo até o fim por não confiar na vice. Também houve o episódio, ainda pouco esclarecido, envolvendo o jovem Renato (filho de Lígia) Feliciano, e sua imprópria associação ao crime do jornalista Ivanildo Viana. O caso fez aumentar o fosso entre Feliciano e o governador.

Pelos termos da proposta, Damião e Renato receberiam um “estímulo” eleitoral importante, para a reeleição do pai, e a eleição do filho a deputado estadual. Lígia seria destacada para suplente do próprio governador que, nessas circunstâncias, deixaria o Governo para disputar o Senado. RC então ficaria livre para eleger o secretário João Azevedo (Infraestrutura) ao Governo, por via indireta, pela Assembleia.

Nesse desenho, Azevedo, eleito governador-tampão, iria trabalhar sua reeleição nas urnas de outubro, compondo a chapa com o governador. Foi revelado ainda que o segundo candidato ao Senado poderia ser o deputado Luiz Couto.

Até onde o Blog pode apurar, o deputado Damião não teria concordado com os termos da proposta, sinalizando que, em caso de RC deixar o Governo, sua esposa assume a governadoria. Caso ele vá até o fim do mandato, o casal segue apoiando o governador também até o final, e Damião disputará a reeleição como previsto. Ainda que o governador, dias depois, tenha melhorado, na verdade, dobrado o “estímulo” eleitoral.

Blog Helder Moura

Comente usando o Facebook

Publicidade