Publicidade

Moro disse que vai levar membros da Lava Jato para a o ministério e que vai se informar do caso Marielle e ver como pode contribuir com a solução do crime.

O juiz Sérgio Moro, que aceitou ser ministro da Justiça do futuro governo Jair Bolsonaro (PSL), concedeu entrevista coletiva na tarde desta terça-feira (6) para esclarecer pontos de suas propostas para a pasta federal e pontos do trabalho dele na Operação Lava Jato. Moro disse que vai levar membros da Lava Jato para a o ministério e que vai se informar do caso Marielle e ver como pode contribuir com a solução do crime.

Sérgio Moro também defendeu a redução da maioridade penal ao dizer que aos 16 anos o jovem já sabe que não pode matar. Ele também se defendeu ao ser questionado sobre o motivo de tirar férias e não pedir imediatamente exoneração do cargo de juiz antes de assumir o Ministério da Justiça. “E se acontece algo comigo, minha família deve ficar desamparada, sem direito nem a uma pensão, para sua manutenção?”

O juiz disse que resolveu conceder a entrevista coletiva por causa dos vários pedidos recebidos de veículos de imprensa para ouvir dele esclarecimentos sobre a Lava Jato e sobre sua ida para o governo Bolsonaro.

Moro defendeu o combate aos crimes e destacou seu trabalho de levar à frente a discussão do projeto “10 Medidas Contra a Corrupção”.

O futuro ministro também disse que não dá para um policial esperar ser baleado para poder reagir contra um traficante armado de fuzil, mas que também não há motivo para incentivar o confronto policial.

Click PB.

Comente usando o Facebook

Publicidade