Servidor do Ministério do Desenvolvimento Regional investigado na Operação Bleeder é exonerado do cargo

Celso Mamede de Lima é apontado como o operador das funções burocráticas do grupo criminoso suspeito de desviar R$ 21,5 milhões na construção de açudes e barragens em municípios da Paraíba.

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) anunciou que Celso Mamede de Lima, servidor da pasta, foi exonerado do cargo nesta quinta-feira (18). Ele é apontado como o operador das funções burocráticas do grupo criminoso suspeito de desviar R$ 21,5 milhões na construção de açudes e barragens em municípios da Paraíba, conforme apurou o ClickPB.

As investigações são da Operação Bleeder deflagrada na manhã de ontem pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público Federal (MPF) e da Controladoria-Geral da União (CGU). Policiais federais cumpriram 34 mandados de busca e apreensão nas cidades de João Pessoa, Campina Grande, Patos, Paulista, Pombal e em Juazeiro do Norte, no Ceará.

“O Ministério do Desenvolvimento Regional informa que não compactua com nenhum ato ilícito e que está colaborando com os órgãos de controle para a apuração dos fatos investigados no âmbito da operação Bleeder, conduzida pela Polícia Federal, Ministério Público Federal e Controladoria Geral da União”, informou por e-mail a pasta.

O ministério tambem ressaltou que foi instaurado “procedimentos internos de apuração de responsabilidades, tanto administrativos como disciplinares”. Além do funcionário do Governo Federal, 25 pessoas e cinco empresas são alvos da operação.

ClickPB

Comente usando o Facebook