Estado descuida e coordenador nacional diz que PB pode ser isolada por virar zona de “alto risco da aftosa”.

Depois da análise de relatórios de auditorias e fiscalizações, o coordenador nacional do Programa de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa, Plínio Leite Lopes e Bruno Roberto, Superintendente do Ministério da Agricultura na Paraíba, se reuniram para debater sobre risco de isolamento de trânsito animal que o Estado enfrenta em decorrência do “descuido”do Governo do Estado.Durante o encontro, que acontece una manhã de hoje na Superintendência Federal de Agricultura (SFA-PB), o coordenador Plínio Leite ouviu os relatos feitos por Bruno Roberto a respeito da situação e alertou que a Paraíba não poderá avançar esse ano para zona livre de aftosa com vacinação, como em outros estados do Nordeste.

As fiscalizações feitas pela SFA-PB,de acordo com Bruno Roberto atestaram inúmeras irregularidades em diversos municípios paraibanos: “falta de recursos para custeio das regionais e locais,ausência de uma legislação estadual de defesa sanitária animal adequada e atualizada, falta de um sistema de informação adequado que proporcione um cadastro estável e confiável dos produtores, propriedades e animais”, foram algumas das irregularidades elencadas por Bruno.

O superintendente destacou,ainda, que a falta ou a má distribuição de pessoal no Estado, a exemplo de algumas unidades como a de Sapé que está sem médico veterinário, tem complicado o desempenho das atividades. Bruno citou que o corte de gratificações e aumento da jornada de trabalho desses profissionais culminou em desmotivação e ineficiência dos serviços.

O coordenador nacional tomou ciência da realidade paraibana e revelou que uma nova auditoria será realizada em breve,caso seja mantido o quadro atual, a Paraíba corre o risco de “juntamente com o Rio Grande do Norte, ficar em isolamento por ser zona de alto risco para aftosa”,concluiu.

PB Agora

Comente usando o Facebook

plugins premium WordPress