Prisão do foragido “Dó” alivia situação dos outros réus presos

 

 

A prisão do foragido Nego Dó feita hoje pela manhã, fez o julgamento dos outros réus acusados do crime do Gentil tomar outro rumo.  Sandro Moura de Oliveira, José Roberto da Silva e Manoel Messias Silva Raimundo estavam presos há três anos e foram levados ao Tribunal do Júri da Comarca de Ingá nesta terça-feira. Conforme já se comentava na comunidade do Gentil, o verdadeiro autor do crime era Dó e sem a participação direta dos demais. Com a confissão de Nego Dó, o julgamento tomou outro rumo. (Veja na matéria a seguir)

Delegado Jorge, escrivão Silton e o Agente Thiago

A prisão de Nego Dó teve êxito graças ao bom trabalho da polícia civil sob o comando do Delegado Jorge Luis Almeida da Silva e com o apoio tático do GTE  da 10ª DRPC Os agentes já estavam realizando levantamento investigativo há dois meses na região, informou o Agente de Polícia Civil, Thiago Fagner Cajueiro Calado.

Armas apreendidas na casa de Dó no momento da prisão

O réu foragido foi capturado em sua residência onde foi encontrado e preso com um facão em sua rede, e mais dois facões no interior da casa. Nego Dó ainda tentou evadir-se do local mas foi imobilizado pelos policiais. Ficará preso à disposição da Justiça para responder pelo crime cometido.

Comente usando o Facebook

plugins premium WordPress