Publicidade

Análises das contas dos ex-prefeitos repercutem em toda região.

A Câmara de Vereadores do município de Serra Redonda tomou decisões neste final de ano no mínimo polêmicas.

De acordo com a lei, as contas das gestões de ex-prefeitos após analisadas pelo Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, aprovadas ou desaprovadas, posteriormente terão que passar por análise e votação das câmaras de vereadores dos municípios, que poderão aprovar ou desaprovar as contas das gestões passadas. Uma desaprovação de contas por parte da câmara municipal, poderá deixar um gestor público inelegível conforme lei da ficha limpa.

Pois bem, neste final de ano, os vereadores de Serra Redonda, reuniram-se em sessões ordinárias para analisarem as contas dos ex-prefeitos, Dr. Beto, Dorgival e Linda.

Na primeira sessão de análises das referidas gestões, Dr. Beto, que teve suas contas DESAPROVADAS pelo TCE, teve suas contas APROVADAS pela Câmara Municipal.

Na sessão seguinte, foi a vez das contas do ex-prefeito, Dorgival, que teve suas contas APROVADAS pelo TCE e REPROVADAS pela Câmara Municipal de Serra Redonda.

Por último, as contas da ex-prefeita LINDA que fora APROVADA pelo TCE, agora foram DESAPROVADAS pela Câmara de Vereadores de Serra Redonda por 6 X 3. Os vereadores Wilson, Valdinho de Queimadas e Edvaildo Cruz, formaram a minoria e tiveram os votos vencidos.

Resumindo, aquilo que é aprovado pelo TCE, é desaprovado pela câmara de Serra Redonda, e virse-versa, caracterizando uma verdadeira inversão de valores.

66806_106049679597282_1374454525_nO vereador José Wilson, um dos que teve o voto vencido, protestou veementemente contra esta atitude irresponsável, leviana e incoerente da maioria dos colegas vereadores da Câmara de Serra Redonda, mostrando que seus votos foram baseados em meras circunstâncias políticas para, ora beneficiar aliados do prefeito, ora para prejudicar adversários do atual gestor, numa vergonhosa posição submissa a interesses mesquinhos da baixa politicagem.

Fato semelhanate ocorreu na Câmara de Ingá no ano de 2011, onde as contas do ex-prefeito Antonio Burity haviam sido aprovadas pelo Tribunal de Contas, as mesmas foram desaprovadas pela  Câmara Municipal, pela base aliada do então prefeito Luis Carlos da Silva, Lula, prejudicando fortemente o ex-prefeito Burity, que para ter direito a ser candidato novamente nas eleições municipais de 2012, teve que ingressar com uma ação na justiça, tendo sua situação ficado sub júdice até a presente data.

O entendimento da lei é que o TCE, composto por pessoas formadas e assessoradas por técnicos em contabilidade e gestão pública, é um órgão meramente aconselhador, tendo mais força a análise e decisão das câmaras de vereadores formadas em sua grande maioria por pessoas leigas em contabilidade pública.

Vai entender. ISTO É BRASIL !!!

INGA-CIDADAO

Comente usando o Facebook

Publicidade