domingo, julho 21, 2024
spot_img
HomeGeralAnvisa autoriza a volta da venda de lista restrita de pomadas capilares

Anvisa autoriza a volta da venda de lista restrita de pomadas capilares

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou nesta segunda-feira (20) uma lista de pomadas capilares que poderão voltar ao mercado. A decisão de proibir a venda de todas as pomadas para trançar, modelar ou fixar cabelos foi adotada em fevereiro devido ao número de relatos de eventos adversos graves notificados à agência, como irritação nos olhos e até cegueira temporária.

A Anvisa ressalta que se trata de uma lista restrita e que a interdição continua para produtos que não estiverem citados no documento abaixo.

VEJA A LISTA COMPLETA DAS POMADAS AUTORIZADAS

Segundo as investigações, a maioria dos produtos que causou efeitos adversos oculares graves apresenta altas concentrações da substância Ceteareth-20.

Por isso, a interdição segue para produtos que estejam nessa condição, “permitindo o retorno ao mercado de parte dos produtos que possuem essa substância abaixo da concentração de 20% em suas fórmulas”, diz a Anvisa.

Desde o início do ano e como parte da investigação aberta para apurar o caso, a Anvisa já cancelou a autorização de 635 produtos por motivos como uso de ingrediente não autorizado ou fora do limite, ausência de declaração do responsável técnico da empresa e não apresentação de estudos e testes solicitados.

A agência diz que “continuará o monitoramento de todos os casos de efeitos adversos associados às pomadas capilares e agindo sobre aquelas que venham a ocasionar novos eventos”.

Por que todas as marcas tinham sido proibidas?

Por precaução. A Anvisa tinha decidido suspender temporariamente a venda de todas as 3.154 marcas (nacionais e importadas) comercializadas no país diante do aumento de relatos de problemas de saúde causados pelas pomadas.

Alguns consumidores relataram queimaduras nos olhos ao entrar na piscina ou após tomar chuva, fazendo com que a pomada escorresse do cabelo para o rosto.

📝 Entre os eventos relatados por consumidores estão:

  • Cegueira temporária (perda temporária da visão);
  • Forte ardência nos olhos;
  • Lacrimejamento intenso;
  • Coceira;
  • Vermelhidão;
  • Inchaço ocular; e
  • Dor de cabeça.

‘Dias sem enxergar’

Somente em Pernambuco, mais de 250 pessoas foram atendidas em PE por causa do uso dos produtos.

Em março do ano passado, o g1 noticiou o caso da manicure Josiane Reis de Souza, que ficou dias sem enxergar após ter usado uma pomada modeladora para trançar os cabelos no Rio de Janeiro.

Quando saí da piscina e começou a escorrer, a minha visão foi ficando toda esbranquiçada, tudo nublado, parecia que eu estava dentro de uma nuvem de fumaça. Durante a madrugada, já não conseguia mais enxergar. Tive que ir ao hospital porque meus olhos queimavam muito. Chegando no Hospital do Olho, o médico averiguou que a minha córnea havia sido queimada.

— Josiane Reis de Souza ao relatar o que sentiu na época ao usar a pomada
A dona de casa Mayara Santana também passou por situação parecida. Ela disse que comprou uma pomada capilar em uma loja de cosméticos e usou o produto por conta própria.

“Usei a pomada para fazer tranças no cabelo. Por volta das 17h, começou a chover e eu senti um incômodo intenso, uma ardência muito grande nos olhos”, contou

A dona de casa Mayara Santana está usando tampão no olho após sofrer queimadura na retina após pomada capilar cair nos olhos — Foto: Mayara Santana/Arquivo pessoal

 

G1

Comente usando o Facebook

DESTAQUES
spot_img
spot_img

Popular

plugins premium WordPress