Publicidade

O Ministério Público promete ingressar nas próximas horas na justiça contra a decisão da Prefeitura de realizar o São João na orla marítima. O promotor do Meio Ambiente da Capital, João Geraldo Barbosa, anunciou na CBN que caberá a justiça decidir se a degradação ao meio ambiente causada pela festa vai acontecer ou não.

A Prefeitura decidiu fazer a festa,mesmo com a oposição do Ministério Público. Em nota à imprensa, a Prefeitura explicou que a festa não será realizada no Centro Histórico porque um laudo do Corpo de Bombeiros atestou que ali só caberiam 10.800 pessoas e são esperadas mais de 50 mil.

Essa opinião da Prefeitura é contestada pelo promotor João Geraldo Barbosa . Segundo ele, “a festa junina nas areias das praias de Tambaú e Cabo Branco dificulta a mobilidade urbana, além de causar poluição sonora e perturbação do sossego público.” “Além dos bairros da orla, pelo menos outros três bairros também são atingidos pela poluição sonora e perturbação do sossego.

Já existe um TAC recomendando que a prefeitura reveja o local para a realização desse tipo de evento e realize as festas no Centro Histórico”, disse João Geraldo. Vamos aguardar para ver quem desata o nó.

Tião Lucena

Comente usando o Facebook

Publicidade