Publicidade

A polícia civil de Ingá está averiguando se os três homens presos hoje na rua Rui Carneiro em João Pessoa, tem relação com o arrobamento e furto realizado na Casa Lotérica de Ingá na madrugada de ontem, terça-feira (07), tendo em vista duas coincidências: a primeira diz respeito ao veículo Sandero Vermelho, podendo ser o mesmo usado em apoio a ação criminosa em Ingá, outra é o biotipo de cada um dos indivíduos, uma vez que eles estavam com os rostos encobertos usavam roupas pesadas. Outro detalhe que pode ser um indício, é que um dos presos está de meia (foto acima em destaque), e de acordo com as imagens internas e externas das câmeras da lotérica, havia um deles usando sandália e meia. 

Confira a notícia publicada no Portal Correio da Paraíba

Presos suspeitos de usar bloqueador de alarme para roubar carros em JP

Grupo atuava da seguinte forma: esperava motoristas estacionarem os veículos e momentos antes de uma vítima acionar o alarme do carro os suspeitos ligavam o bloqueador, inibindo a ação do alarme

Polícia | Em 08/11/17 às 17h14, atualizado em 08/11/17 às 17h45 | Por Halan Azevedo

Divulgação/Polícia MilitaMaterial apreendido com os suspeitos
Material apreendido com os suspeitos

Três homens foram presos no fim da tarde desta quarta-feira (8) suspeitos de usar um bloqueador de sinal de alarme para roubar objetos pessoais de motoristas que estacionavam carros em bairros da Orla de João Pessoa.

Leia mais Notícias no Portal Correio

Ao Portal Correio, o capitão Ítalo, da Companhia Especializada em Apoio ao Turista (Ceatur), afirmou que a polícia chegou aos suspeitos após uma denúncia de um homem que se disse vítima do grupo.

“Recebemos a denúncia e descobrimos que o grupo havia ido almoçar em um restaurante. Porém, quando chegamos ao local eles já haviam saído. Durante rondas, conseguimos localizar os suspeitos e, com eles, apreendemos o bloqueador de sinal, dinheiro, dólares, pesos argentinos e outros objetos”, disse o capitão.

Ainda segundo o policial, o grupo atuava da seguinte forma: esperava motoristas estacionarem os veículos e momentos antes de uma vítima acionar o alarme do carro os suspeitos ligavam o bloqueador. Com isso, o alarme do veículo não funcionava e ele ficava destravado, possibilitando a ação criminosa.

“Eles se valiam da distração dos motoristas e invadiam os carros, roubando tudo que fosse de valor. O grande problema é que os motoristas acionam o alarme, mas não conferem se realmente ele travou as portas e isso é uma grande distração e um grande risco”, alertou o capitão.

Leia mais notícias em portalcorreio.com.br, siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram e veja nossos vídeos no Youtube. Você também pode enviar informações à Redação do Portal Correio pelo WhatsApp (83) 9 9130-5078.

Comente usando o Facebook

Publicidade