Publicidade

Nesta semana a Justiça decidiu que o dinheiro encontrado dentro do carro terá que ser entregue aos filhos do empresário, que era sócio majoritário da Banca Para Todos.

O empresário Antônio Ramos de Araújo foi assassinado no dia 31 de maio de 2016. Ele estava dentro de seu carro trafegando pela avenida Sérgio Guerra, principal do bairro dos Bancários, quando foi alvejado por tiros disparados por dois homens em uma moto. Dentre de seu carro foi encontrada uma bolsa com a quantia de R$ 100.816.

Nesta semana a Justiça decidiu que o dinheiro encontrado dentro do carro terá que ser entregue aos filhos do empresário, que era sócio majoritário da Banca Para Todos. O caso foi decidido pela Câmara Criminal do Tribunal de Justiça da Paraíba em harmonia com o parecer do Ministério Público. O relator do processo foi o desembargador e presidente do Colegiado, Ricardo Vital de Almeida.

Os filhos de Antônio argumentaram que o valor encontrado era proveniente de sua atividade comercial. Foi argumentado ainda que a importância destinava-se ao pagamento de fornecedores e outras despesas pessoais.

Os irmãos decidiram incumbir a um deles a responsabilidade para adotar as medidas necessárias para liberação do referido valor, com vistas à quitação dos compromissos pessoais e comerciais pendentes de seu falecido pai.

O relator da matéria entendeu que a a manutenção da apreensão da quantia questionada não interessa ao feito, nem há dúvida a respeito da titularidade do valor apreendido, pelo que não há impedimento legal à sua restituição. “Assim, não vejo qualquer impedimento à restituição da quantia apreendida nos autos do inquérito policial, objeto do depósito judicial, nos moldes em que requerida”, finalizou o desembargador Ricardo Vital de Almeida.

ClickPB

Comente usando o Facebook

Publicidade