Eduardo Campos contraria RC e admite aliança com o PPS de Bandeira.

Apesar de apontar para a candidatura própria no intuito de manter o PSB na prefeitura de João Pessoa, o presidente nacional da legenda, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, não descartou a possibilidade de uma aliança com o PPS na capital, nas eleições de outubro.Campos falou, com exlusividade, ao Jornal da Paraíba, durante o encontro da legenda socialista no Hotel Tambaú, no último sábado (04/02), no qual a pré-candidata Estelizabel Bezerra (PSB) foi apresentada oficialmente à militância partidária.

A declaração do governador pernambucano abre uma perspectiva de entendimento com grupo dissidente encabeçado pelo PPS, que lançou o nome do jornalista Nonato Bandeira – atual secretário de Comunicação do Estado – como alternativa da situação.

Embora o PPS seja oposição a Dilma Rousseff (PT) e o maior opositor do PSB, em Pernambuco, Eduardo Campos admite a possibilidade de composição com o PPS, em João Pessoa.

“O fato é que o PPS, em alguns estados, tem aliança com o PSB. A posição nacional é outra. Como aqui mesmo: nós fizemos uma bela aliança com o PSDB na eleição passada, elegemos Ricardo e o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), a despeito da divergência que o nosso partido tem em nível nacional”, comparou Eduardo Campos.

Questionado diretamente se é possível uma aliança com o PPS, em João Pessoa, o governador de Pernambuco foi taxativo: “Eu acho que isso vai ser da dinâmica de cada cidade. Nós não podemos excluir nenhuma aliança numa conjuntura de uma eleição municipal. Não devemos excluir”, respondeu.

A resposta do governador Ricardo Coutinho sobre as duas candidaturas da situação, contudo, foi bem resumida: “Nós vamos estar unidos, como sempre fomos e como sempre seremos”, afirmou.

O presidente municipal do PSB, Ronaldo Barbosa, afirmou que a decisão é partidária. “Não cabe a mim mais decidir. Qualquer mudança nesse rumo é o diretório que decide”, disse, adiantando, ainda, que o PSB fará pesquisas qualitativas para auferir a aceitação de Estelizabel.

“Todos os partidos fazem isso, nenhum partido faz política, hoje, sem pesquisa”, disse Ronaldo.

O dirigente municipal é um dos maiores defensores da candidatura própria, e apontou que o PPS enfrenta uma disputa interna, tendo dois candidatos (Nonato e o deputado Janduhy Carneiro). “Nonato, primeiro, tem que resolver internamente no PPS”, apontou Ronaldo Barbosa.

Da Redação com Jornal da Paraíba

Comente usando o Facebook

plugins premium WordPress