Coluna de Rocha: Ficha limpa …

FICHA LIMPA…

Sempre fui um grande entusiasta dessas leis de iniciativa popular que objetivam moralizar a política no Brasil e tentam fazê-la funcionar como deveria, ou seja: para que nossos políticos sintam-se e ajam como EMPREGADOS DO POVO e entendam que o voto é um gesto de confiança e não um cheque assinado em branco, com o qual eles possam exercitar sua incompetência e desonestidade; para que se portem como qualquer empregado da iniciativa privada honesto, que se dá por contente por poder trabalhar e receber em dia o seu salário e não, em buscar outros meios para encher os bolsos com o que pertence à empresa ou ao patrão.

A política de origem, na sua teoria é ótima, maravilhosa, espera que os políticos entrem e se mantenham políticos (ou não), com base no julgamento popular acerca das impressões da maioria sobre suas qualidades, como competência, honestidade e realizações.

O Brasil nasceu com esta ideia estúpida, invertida, destorcida de que, se não for de maneira errada, o sujeito não entra na política e se, por algum milagre entrar, não fica. Por isso não existe iniciativa política no sentido de moralizar e reverter esta ideia, o que seria bom demais para o povo e transformaria o Brasil, num piscar de olhos, no melhor lugar do universo para se viver.

Na lei contra a compra/venda de votos, percorri as comunidades da minha região com os formulários fornecidos pela igreja, recolhi cerca de quinhentas assinaturas e vibrei muito quando da sua aprovação, embora soubesse que ninguém deixaria de comprar ou de vender votos por causa da lei, mas que muitos seriam processados, condenados e punidos, como foram, em função dela, que não evita, mas conscientiza o cidadão, esse que às vezes até negocia, vende, recebe, mas não entrega o voto pra quem, com toda certeza, multiplicaria muitas vezes o valor pago por ele, na sua conta bancária e, com isto, tiraria o pouco que poderia ter, quem já não tem nada exatamente por causa deles.

A Lei da Ficha Limpa, com essa carinha de bibelô que ela tem, não tem nada de boazinha. Ela é cruel e, além das condenações que já trouxe embutidas, criou campos minados pra todo mundo que pensar em fazer alguma coisa para infringi-la, não porque a lei por si só vá ver, fiscalizar e punir, mas porque todos os políticos têm adversários que ficarão de butuca em tudo que os outros fizerem, para derrubá-los e tomarem seus lugares. E estes, se entrarem, irão também com cuidado para não pisarem numa mina suja e serem, politicamente, detonados.

Leizinha difícil, cheia de recursos e resistências, que só foi aprovada por pressão popular e vai, aos poucos, ter de ser engolida e digerida por todos, para o bem de todos.

Que o povo, juntamente com a OAB, CNBB e até o BBB, se for o caso, continue apresentando leis nesse sentido porque, se todos tivessem noção do paraíso que o Brasil poderia ser se não existisse aqui, tanta corrupção, faria a hora JÁ, não esperaria acontecer.

Talvez, entre todos, o detalhe mais importante nessa história toda, é lembrar que FICHA SUJA não é somente quem é condenado pela lei, mas é também quem tenta agir contra ela ou contra qualquer outra lei e até mesmo, quem não infringe lei alguma, mas usa o povo e suas carências, para se dar bem.

Na política não existem BONZINHOS. Ou o sujeito é honesto e competente ou NÃO SERVE!

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Visite —>>> Ingá Já

 

Comente usando o Facebook

plugins premium WordPress