Oposição na AL diz que já tem assinaturas para CPI do Jampa Digital.

A bancada de oposição na Assembléia Legislativa da Paraíba já tem 14 assinaturas para solicitar a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar denúncias contra o projeto Jampa Digital, que deveria oferecer internet gratuita em João Pessoa. O número foi revelado nesta terça-feira (03/04) pelo vice-líder do bloco Aníbal Marcolino (PSL), responsável por colher as assinaturas dos parlamentares.

Com isso o pedido de investigação já pode ser apresentado, pois o regimento exige que pelo menos 12 parlamentares (um terço da Assembléia) subscrevam o documento. Contudo, Aníbal disse que vai tentar coletar mais apoios antes de protocolar o pedido e isso só deve acontecer na quarta-feira (4) ou depois do feriado da Páscoa.

“Já colhi mais do que as assinaturas necessárias. Agora vamos aguardar alguns colegas que estão viajando para que eles possam subscrever também e o pedido seja apresentado com o maior número de assinaturas possíveis”, afirmou Aníbal. “Vamos investigar isso é uma prerrogativa nossa”, completou.

O deputado Aníbal Marcolino explicou que após o pedido ser protocolado ele vai para a presidência da Assembléia que depois envia para a procuradoria da Casa emitir um parecer dizendo se ela pode ou não ser acatada.

“Eu espero que a presidência nos dê o direito de instalar essa CPI”, afirmou Marcolino. Ele revelou inclusive que o deputado Toinho do Sopão (PTN) que faz parte da base governista assinou o pedido de CPI , fato que foi confirmado depois pelo próprio parlamentar. “Onde há fumaça, há fogo. E onde há fogo, ele deve ser controlado”, disse Toinho.

O vice-líder do governo Adriano Galdino (PSB) disse que não via motivo para a instalação de uma CPI para investigar o Jampa Digital. “Eu não vejo escândalo nenhum. Foi feita uma denúncia que tinha o objetivo de derrubar o ministro das Cidades Aguinaldo Ribeiro, mas está tudo sendo apurado”, destacou.

Galdino ainda disse que se caso for instalada a CPI do Jampa Digital será igual a CPI que foi instalada em 2011 para apurar quem seria os autores de uma campanha de outdoors com fotos dos deputados que votaram contra um projeto do governador Ricardo Coutinho que autorizou a troca do terreno da Academia de Polícia. “Essa CPI vai ser igual a outra, que não chegou a lugar algum e não serviu para nada”, acrescentou.

Do G1PB

Comente usando o Facebook

plugins premium WordPress