Sem medo de atingir o irmão, Daniella Ribeiro assina CPI do Jampa Digital na AL

Diferentemente do Fantástico, que mirou o ministro das Cidades, deputado Aguinaldo Ribeiro, a CPI do Jampa Digital na Assembleia Legislativa, de autoria do deputad Aníbal Marcolino (PSL), tem como foco o governador Ricardo Coutinho (PSB)Tanto que a CPI, que pretende investigar denúncias de superfaturamento e pagamento de propina na execução do programa que prevê internet grátis em João Pessoa, recebeu a assinatura de Daniella Ribeiro, irmão do ministro Aguinaldo.

Sem receios de atingir o irmão, que alegou ter entrado no programa depois que ele foi licitado e saído antes dos recursos serem liberados, Daniella subscreve o documento que possui 15 assinaturas, todas dos deputados da oposição.

O problema é que setores da oposição querem arrastar o ministro para a rede de denúncias do Jampa Digital, usando como principal indício o fato do programa ter sido gerido durante gestão de Paulo Badaró na Secretaria de Ciência e Tecnologia de João Pessoa, antecessor de Aguinaldo na pasta e indicação do PP para o cargo.

A deputada Daniella Ribeiro, certamente, comunga com a tese de que o caso deve se restringir à investigação exclusiva sobre eventual envolvimento dos líderes do PSB na Paraíba. Mas caso alguém queira incluir seu irmão ou o PP na discussão, com intenção de tirar algum proveito político disso, ela passará de bela pra ser fera dentro da Assembleia.

Caso seja instalada, a CPI do Jampa Digital começará com base em denúncias virtuais, já que não há, até agora, à exceção de parecer do TCE endossando o processo licitatório do programa, decisão formal alguma contra o projeto, seja pela Justiça ou por órgãos do controle externo.

De real, apenas as dificuldades na execução do programa na prática, já que foram identificados problemas de conexão em pontos do programa.

Luís Tôrres

 

 

 

Comente usando o Facebook

plugins premium WordPress