Padre Zé: Uma pequena reflexão para você entrar no Clímax do Tríduo pascal!

Padre Zé faz uma bonita reflexão sobre a atitude de Jesus antes da ceia em lavar os pés dos discípulos e seu significado.

Leia e reflita:


 

             

                05 de abril – Quinta Feira Santa

 

                                   

                                       Evangelho João 13, 1-15  ” O Lava – Pés” (Leia)

 

Antes da Ceia pascal Jesus lava os pés dos Apóstolos

                                                        

 

               Por acaso em nossas famílias, celebram-se aniversários de grandes tragédias? Que mãe iria querer celebrar com os familiares e amigos, o dia em que seu filho foi preso, condenado injustamente e passou por uma morte vergonhosa e extremamente humilhante ? Coisas assim, a gente quer esquecer, apagar da memória para sempre….

              Na última Ceia,  Jesus está dizendo aos seus discípulos que Ele quer que o seu sacrifício, a sua paixão e morte na cruz, seja sempre lembrada em um ritual. Atentemos para um detalhe dos sinóticos  isto é, são os três evangelistas muito parecidos no que ele escrevem.  São eles os Evangelhos segundo Mateus, Marcos e Lucas.  “Jesus partiu o pão e o deu a seus discípulos dizendo, tomai e comei pois este é o meu corpo…” e no escrito paulino, (Leia ICor 11,23-26). Foi o que sobrou de Jesus na cruz do calvário: seu corpo, massacrado, despedaçado, sem nenhuma vida. Comer o corpo de um morto e lembrar sempre do jeito que ele morreu. Pense que escândalo para os Judeus!

               João toma outro rumo em sua reflexão com as comunidades do seu tempo: Aquele ritual, aquela celebração tem algo de grandioso e belo por trás de tudo. Ser rebaixado no último degrau do ser humano, aniquilar-se e deixar esmagar-se, dar o corpo, a vida e o sangue, até a última gota, esse era o Serviço que Jesus prestava a todos nós. Lavou-nos não só os pés, mas todo o nosso ser, passando por esse banho da regeneração. Aquele que sentou com Jesus à mesa, e continua a sentar-se hoje aquele que ouve a sua palavra e a guarda em seu coração, compreende  o Mistério do Cristo em nós.

               Pois bem, devemos ter força e humildade para também rebaixar-se diante de todos, ser o último, só para poder servir. Quando pensamos em  nossa importância, no cargo que ocupamos, nem precisa ser tão grande assim. Por exemplo, a função do pai de família ou a mãe, entre outros cargos que servimos na Igreja, na função que exercemos, é difícil servir o irmão ou a irmã, que precisa de nós. Muitas vezes temos que nos deixa curvar diante do outro, queremos servir, mas do nosso jeito cheio de restrição. E isto não vale…    Por isso contemplemos, nesse evangelho de João, o sentido real do servir de Jesus, que não leva em conta o que Ele é:  Grandioso,  Onipotente, Poderoso, Onipresente e Onisciente, mas que se abaixa diante do ser humano, para lavar-lhes os pés. Muitas vezes como Pedro (leia Jo13,6-8), não aceitamos a idéia de um Deus que se rebaixa para servir, pois observe que este serviço de lavar os pés era o serviço, que o escravo fazia ao seu senhor por isso que Pedro de início não aceitou. Pedro ainda precisava caminhar mais para aceitar tamanho ensinamento do Mestre.  Jesus dá a este serviço precisamente uma dimensão maior e primordial: Nós é que devemos nos rebaixar diante Dele e dos irmãos precisamente…Exatamente isso, só que esse Deus manifestado em Jesus está sempre bem escondido, mas real na vida dos irmãos e irmãs a quem devemos servir, e que o Senhor coloca diante de nós.                  

 

              Obrigado, Senhor, por nos sugerir tamanho gesto entre outros  de acordo com o tempo e a realidade vivida na comunidade, tendo como luz o seu próprio testemunho:  SERVIR O IRMÃO!.

 

 

 

                                                                              Pe José  D. de Macedo

 

Comente usando o Facebook

plugins premium WordPress